História de Roma
Data: 20 de fevereiro às 16:33:35 BRT, domingo
Tópico: Notícia


Por Rachel Sanderson

ROMA (Reuters) - Numa descoberta que pode levar a história de Roma antiga a ser reescrita, arqueólogos italianos que faziam escavações no Fórum desenterraram as ruínas de um palácio que, segundo eles, confirma a lenda sobre a origem de Roma.


A maioria dos historiadores contemporâneos vê como mera fábula a história de que Rômulo fundou Roma em 753 a.C., erguendo nas encostas do monte Palatino uma cidade murada no lugar onde ele e seu irmão gêmeo, Remo, foram amamentados por uma loba quando bebês.
Andrea Carandini, da Universidade La Sapienza, em Roma, passou 20 anos tentando desmentir os céticos. No mês passado, ele e sua equipe encontraram a última peça de um quebra-cabeças que, para ele, pode mostrar que o mito teve raízes em fatos verídicos.
"A arqueologia e as lendas parecem combinar-se melhor do que pensavam os historiadores contemporâneos", disse Carandini à Reuters em entrevista, antes de apresentar suas descobertas, no fim de semana.
"Agora já dispomos de todos os elementos para demonstrar que parte da lenda pode ser verdade."
A confiança de Carandini se baseia na descoberta de traços de uma casa de proporções principescas que data do século 8o. Ac, época da legendária fundação da Cidade Eterna, à margem do Fórum.
A 10 metros de profundidade debaixo dos pinheiros que crescem sobre o monte Palatino, e debaixo de séculos de construções que datam desde os tempos clássicos até a Renascença, o palácio possui um pátio e uma área interna coberta, cobrindo área total de 350 metros quadrados.
Colunas de madeira marcavam sua entrada, havia decorações em cerâmica, e bancos assentados contra as paredes de um grande salão central.
O palácio fica ao lado do santuário de Vesta, a deusa romana do lar, perto das encostas do monte Palatino, local onde foram encontrados os primeiros traços da civilização romana e onde, segundo a lenda, Rômulo matou Remo antes de construir Roma.
A maioria dos historiadores nunca levou a sério o mito sobre a fundação de Roma porque argumentava que a Cidade Eterna não passava de um agrupamento de choupanas na época em que, segundo o historiador romano Lívio, Rômulo teria fortificado o Palatino e mostrado "símbolos externos de poder".
Carandini também encontrou resquícios de santuários, uma muralha defensiva e um piso de madeira do Fórum que datam do mesmo período. Ele diz que, com isso, a visão que se tem da fundação de Roma terá que mudar.
"É excepcional, um achado de importância máxima", disse ele. "Só pode ter sido um palácio digno de um rei."
Outros estudiosos se mostram mais cautelosos.
"O palácio é inteiramente convincente", disse Elizabeth Fentress, arqueóloga da Escola Britânica em Roma. "No século 8 a.C. as pessoas viviam em minúsculas choças subovais. Esta estrutura é muito maior e é retangular. Mas isso não tem vínculo direto com o mito de Rômulo.
"A tradição é baseada na realeza e na existência de uma comunidade ordenada, mas isso não significa que Rômulo tenha matado Remo."






Este artigo veio de Professor Leonardo - Física
http://www.prof-leonardo.com/

O Link desta história é:
http://www.prof-leonardo.com//modules.php?name=News&file=article&sid=735